Devaneio Vinho Branco 2018

11,95

11% Vol.

750 ml

*com IVA incluído

REF: DVN01 Categorias: , ,

Descrição

Devaneio Vinho Branco 2018

Conceito: Criar um vinho que recupere os tradicionais brancos de maceração onde as castas eram vinificadas em conjunto, demonstrando a aptidão do terroir do sopé da serra de Montejunto para produzir vinhos de grande qualidade.

Vinificação: Vindima manual e esmagamento direto para a prensa. Maceração com películas e engaço durante um dia em cuba de cimento. Fermentação espontânea com leveduras indígenas e sem recurso a frio artificial. Finda a fermentação, o vinho passou para cubas de inox, onde iniciou a clarificação. Após 12 meses em cuba foi engarrafado sem filtração e estabilização química (pode conter depósito). Sai para o mercado após vários meses de estágio em garrafa.

Castas: Fernão Pires, Alvarinho, Arinto e Moscatel Galego.

Parâmetros analíticos:

Teor alcoólico – 11% (vol.)
Acidez Volátil – 0,52 g/l (ácido acético) Acidez Total – 5,70 g/l
pH – 3,49

Prova organolética: Fruto do conceito adotado, é um vinho no estilo do conhecido “Fernão Pirão” ou dos orange wines da moda nos mercados internacionais. De cor amarela carregada e ligeiramente turvo, o aroma reflete as notas oxidativas da vinificação que não são defeito, mas feitio. Na boca parece um tinto, com adstringência e algum amargo. Com o tempo de garrafa os aromas vão-se refinando, a boca perderá a agressividade, exatamente como nos tintos de guarda. Não será um vinho para os palatos mais sensíveis, embora encha de alegria quem aprecia o estilo.

Aptidões: É um vinho branco que parece tinto e com ótimo potencial de envelhecimento e aptidão gastronómica. O acompanhamento de pratos da cozinha tradicional, como a sopa da pedra, os ensopados de borrego, o bacalhau à lagareiro ou as carnes gordas bem confecionadas, permite perceber as aptidões deste estilo de vinhos. Guarde umas garrafas e observe ao longo dos anos como o vinho perde a agressividade da juventude e ganha em complexidade e elegância.

Modo de servir: Devido ao estilo, a temperatura deve ser mais alta do que a usada para a maioria dos brancos. Sirva a 10ºC e não se preocupe se chegar ao 16ºC dos tintos. Deve apreciá-lo devidamente em copo com forma de tulipa, mas experimente-o também num dos tradicionais trauliteiros e perceba como se apreciavam os brancos nas tabernas populares da Lisboa de outrora. Se encontrar alguma turvação, não é defeito, é feitio, devido à ausência de filtração no engarrafamento.


DEVANEIO

Devaneio é o “estado da pessoa que divaga ou se deixa levar pela imaginação, lembranças ou sonhos”. E assim o vinho ganhou nome!

A vinha, a vindima e o vinho estão presentes desde sempre, a tradição da família já é longa, mas fazer um vinho em nome próprio era um sonho… frequentemente apelidado de devaneio, dada a juventude.

Os vinhos Devaneio têm origem em Alenquer, na região de Lisboa. As vinhas estão em Cabanas do Chão e nas aldeias vizinhas, todas elas anichadas no sopé da Serra do Montejunto que juntamente com a influência da frescura atlântica criam um terroir único capaz de dar origem a vinhos com carácter que não deixam ninguém indiferente. 

Avaliações

Ainda não existem avaliações.

Apenas clientes com sessão iniciada que compraram este produto podem deixar opinião.